terça-feira, 6 de novembro de 2012

Uma Cena Inusitada

Estava voltando para casa no ônibus e vi uma cena no mínimo inusitada. No meio do percusso sobe um jovem, aparentando seus 25 anos, vestindo roupas bastante humildes e com uma aparência triste porém bastante lúcida. O mesmo paga sua passagem, ultrapassa a catraca e diz:
- Boa Noite Senhores!
Poucos responderam. O jovem novamente diz com um tom de voz mais alto:
- Boa Noite Senhores!
O número de pessoas a responder aumentou significativamente (inclusive de minha parte que estava distraído da primeira vez).
- Quero perguntar a vocês uma coisa. Me digam com toda a sinceridade. As aparências podem dizer o verdadeiro caráter das pessoas?
As pessoas ficaram sem jeito pra responder, como se isso significasse a confissão de seus preconceitos. Ao ouvir uma pergunta tão original para o momento fiquei reparando com atenção o que aquele rapaz queria. Seria ele mais uma vítima de um sistema de exclusão social? Um membro de uma família com bastante dificuldades em se sustentar que estava tentando a atenção para pedir ajuda financeira para comprar comida? Um religioso que tinha como objetivo dar o seu testemunho de superação graças a fé? Todos ficaram esperando para ver o que aquele homem iria dizer. O mesmo com muita naturalidade e sinceridade continuou:
- Ao me verem mal vestido que lhes veio na cabeça? Provavelmente que eu era mais um viciado em drogas ou vagabundo que inventa uma história comovente sobre sua família para faturar uma grana não é? Pois bem. Quem achou que eu sou um dependente químico acertou em cheio (todos olharam abismados). Estou aqui porque sou dependente de uma droga que eu não quero citar o nome por estar na presença de crianças mas que vem devastando milhares de vidas em nosso país. Vocês sabem qual é não é mesmo?
Neste momento confesso que todos já estavam alarmados com a maneira que aquela abordagem estava sendo feita. O rapaz tinha grande facilidade em oratória, utilizando hora palavras rebuscadas e com uma gentileza incrível. E assim ele continua:
- Não vou fazer como muitos, que dizem que tem os pais doentes, afinal minha família não tem culpa de meus erros e não merecem que eu invente desgraças a seu respeito só pra conseguir dinheiro. ou que é pai de família e deixou mulher e filhos em casa a espera de comida. Também não direi que estou aqui para pedir dinheiro porque preciso comprar comida, nem que sou algum coitadinho, pois não foi a droga que me procurou, e sim o contrário. Também não vou lhes pedir algo em nome de Deus. "Ela" (era assim que ele se referia as vezes a droga) me levou quase tudo. Do que eu era só restou a minha sinceridade e meu senso de honestidade que me faz estar aqui neste coletivo falando isso a vocês e pedindo, ao invés de estar roubando ou mentindo para sustentar meu vício.
Fiquei extremamente impressionado. Nunca tinha visto alguém pedir desta maneira dinheiro para comprar drogas, aliás não só eu, todos pareciam confusos ou incrédulos no que haviam ouvido. Este jovem, repito, com grande habilidade de oratória e muita educação, acabara de pedir aos passageiros ali presentes uma ajuda para que o mesmo pudesse sustentar sua dependência.
Na hora de "passar o chapéu" muitas pessoas deram dinheiro ao rapaz, inclusive elogiando sua coragem e sinceridade, maneira que, para grande maioria era digna de elogios. Ao invés disso eu preferi refletir: Quantos jovens como esse estão as margens da sociedade destruindo suas vidas na dependência de drogas como o crack? Quantos poderiam ter um futuro brilhante se não fossem vitimados pelas mazelas sociais e empurrados ao submundo das drogas? Quantas vidas eu, meus familiares, a sociedade em geral e o poder público poderiam ter salvado ao longo dessa epidemia trágica?
É preciso pensar em repostas para estas perguntas antes que seja tarde demais. Precisamos de um estado que não faça um paliativo através da repressão policial ao viciado, como se ele fosse o maior culpado, enquanto não se tem uma política efetiva e forte de enfrentamento ao narcotráfico. Necessitamos de um investimento alto em educação, qualificação profissional e emprego, para que os jovens possam ter uma nova perspectiva de vida através da educação e do trabalho. É preciso enfrentar o problema do crack como  caso de saúde pública, dando o tratamento adequado e gratuito ao dependente.
É difícil se livrar do vício, em especial do crack, entretanto mais difícil ainda é desenvolver um país que não consegue dar condições de futuro para a nossa juventude, construindo hoje a sociedade e o país do amanhã.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Porquê Voto 65


Como em toda a eleição, comecei já algum tempo a estudar o histórico e as propostas dos candidatos a prefeitura de minha cidade, Olinda. Ouvi muitas críticas a atual gestão, boatos e opiniões de que deveriamos, em protesto, votar nulo, branco ou em outros candidatos, afim de não reeleger Renildo Calheiros. Vejamos nossas opções:

Armando Sérgio, candidato que primeiro se lançou como alternativa de oposição ao prefeito Renildo sempre se colocou como um crítico a gestão do PCdoB em Olinda. Sempre? Na eleição passada (2008) ele foi candidato a vereador pelo PTC, com o número 36222 e fazia parte da coligação Olinda Frente Popular, que tinha como candidato a prefeito Renildo Calheiros. O que mudou? Será que foi a postura do PCdoB e de toda a frente ou sua opção para querer se projetar individualmente, mudando até de partido, se filiando ao Democratas partido que é contra o poder estatal, e apoia o liberalismo e o regime capitalista, sistema baseado na exploração e nas desigualdades. 
Bonito mesmo é o seu Slogan: 100% Olinda, criticando o fato do atual prefeito não ser olindense. Difícil pensar essa postura provinciana de alguém que é natural do recife. Isso mesmo ELE NÃO É OLINDENSE!
Mas como a naturalidade do candidato nunca quis dizer muito pra mim preferi ver seu histórico para conhecê-lo melhor. Foi diretor de alguns sindicatos, isso é bom, foi assessor parlamentar de dois deputados do Partido dos Trabalhadores...opa...pera ai, do PT? Mas ele não é de uma visão capitalista e neoliberal, então porque foi assessor de candidatos do Partido dos Trabalhadores? Será que o partido que vem conduzindo grandes mudanças a frente do governo federal mudou, ou o candidato mais uma vez foi oportunista?
E a experiência política? que cargos eleitorais ocupou? Segundo o TRE o camarada infelizmente não ocupou nenhum cargo eleitoral, e agora quer ser prefeito de minha cidade? Sem chance!

Izabel Urquisa, uma candidata diferente, cara nova para melhorar Olinda, que leva no nome a história de uma família que, ao que dizem, sabe governar esta cidade, até porque sua mãe Jacilda Urquiza foi prefeita de Olinda e deixou a cidade abandonada, sem infra-estrutura, sem obras públicas de impacto para a população, com problemas de saneamento na cidade inteira, etc, o que acarretou a perda nas eleições de 2000 para a candidata do PCdoB Luciana Santos. Inclusive a própria Jacilda deveria ser ela a candidata do PMDB a prefeitura em 2012 se não fosse o fato da mesma ter tido em 2010 seus direitos caçados por uma ação do ministério público federal que investiga irregularidades em um convênio entre a prefeitura e o governo federal no valor de 3 milhões de reais e por ser a responsável por dar a Olinda o primeiro lugar entre as prefeituras com irregularidades no Brasil no ano de 2003.
Mas isso é o de menos não é? Afinal a filha pode não ter nada haver com os problemas eleitorais de sua mãe. Então vamos avaliar seu histórico político, vejamos...vejamos... infelizmente não encontrei nada nos meus registros, ai fica difícil confiar. Para mim está fora!

Ah! Já ia me esquecendo. Tem também tem também Ediel Romão, que lançou uma candidatura há pouco mais de um mês após seu partido (PMN) ter saido da frente popular. Mas espera ai. Pouco mais de um mês? As campanhas não começaram há 3 meses? Por Que ele laçou-se candidato só agora? Achei melhor nem me aprfundar.

Por fim parei para pesquisar sobre Renildo Calheiros, sua história e trajetória política desde os movimentos sociais.
Me empolguei por ver sua forte participação no movimento estudantil, um diferencial entre os demais candidatos, onde o mesmo participou do Diretório Acadêmico de seu curso (geologia) e depois do Diretório Central dos Estudantes da UFPE na década de 70. UFPE? Então o prefeito está em nosso estado já há um bom tempo, o que proporciona um bom conhecimento de nossa terra (não é o que a oposição diz). Chegou a ser presidente de uma das maiores entidades estudantis da América Latina, a gloriosa União Nacional dos Estudantes num período conturbado de redemocratização do país, redemocratização esta que foi muito motivada pela UNE.
Na vida pública Renildo foi vereador deputado federal três (outro diferencial dos demais candidatos), onde ajudou e muito Olinda à angariar recursos e mudar a cara da cidade, afinal projetar o futuro e a melhoria da sociedade é um DEVER do poder legislativo.
Como prefeito Renildo conseguiu implementar projetos que visem o futuro da cidade e a melhoria da qualidade de vida da população.
Eu sou jovem e sonho com instituições de ensino que formem e profissionalizem a juventude, como é o caso das duas escolas técnicas que estão sendo construidas no município; gostaria de ver áreas onde a população pudesse desempanhar a prática esportiva como o estádio municipal de Olinda, a vila olímpica as mini-áreas de lazer no bairros e a praça da juventude; Gostaria de ter uma cidade cada vez mais verde, repeitando o meio ambiente e implantando espaços de preservação ambiental como a mata do Passarinho e a revitalização da Orla; onde as pessoas fossem tiradas de condições de miséria como os os projetos do PAC que mudaram a cara de várias comunidades. Enfim, eu já escolhi meu voto e tenho certeza que ele será consciente e visando uma cidade ainda melhor.
  

terça-feira, 4 de setembro de 2012

A Energia para Renovar Olinda





Nós somos filhos da cidade patrimônio da humanidade. 
Somos Estudantes que lutam por uma escola de qualidade e uma faculdade democrática.
Acreditamos nas organizações sociais como sendo de essencial importância para a melhoria da sociedade.
Nos reunimos em associações de moradores para descutir a comunidade que queremos.
Somos da Nação Hip Hop Brasil, fazemos cultura, nos comunicamos com a sociedade denunciando os abusos contra as periferias.
Combatemos o Racismo, o  Machismo e a Homofobia, porque acreditamos numa sociedade cada vez mais igualitária e que, de boa, esse papo de preconceito não tem nada a ver.
Estamos nas Redes e Nas Ruas, mobilizando a juventude e construindo a cidade dos nossos sonhos.
Estamos nos quatro cantos da Olinda lembrando que vereador é PARA A CIDADE TODA!
Combatemos o assistencialismo eleitoral, a compra de votos e os picaretas que vivem as custas da miséria do povo.
Gostamos de festa sim! Mas a nossa praia mesmo é discutir um projeto de futuro, que pense na cidade do amanhã, que renove o jeito de se fazer política e que eleve o grau de comprometimento político da população.
Acreditamos que muito foi feito por Olinda nos últimos anos, mas precisamos ter a capacidade de fiscalizar, cobrar e criticar propositivamente para melhorarmos ainda mais.
SOMOS COMUNISTAS! Acreditamos num projeto de socialismo feito para Brasil, respeitando todas as nossas especificidades. 
Fazemos parte de um projeto coletivo, no qual o mais importante são as pessoas. Que não luta pelo retorno financeiro, mas pela construção de uma sociedade cada vez melhor.
Somos a ENERGIA PARA RENOVAR OLINDA. Somos Matheus Lins 65.000!

sábado, 25 de agosto de 2012

Sobre a Pós-Graduação no Brasil



Vivemos um período de pleno desenvolvimento do Brasil. A melhoria na qualidade de vida de uma boa parcela da população aliado a diminuição de problemas econômicos históricos nos coloca na posição de país forte e com  influência na conjuntura mundial.
Apesar disso ainda existem problemas que atingem diretamente o nosso crescimento.
A situação da educação brasileira é um dos pontos mais preocupantes de nossa sociedade. Estamos longe de termos uma educação pública de qualidade, com remuneração adequada do professor, estrutura completa das instituições de ensino e incentivo a formação universalizada.
Na pós-graduação isso não é diferente. A condição de país em desenvolvimento exige uma ampla formação de especialistas, mestres e doutores que iram conduzir esse progresso. A falta de profissionais em setores estratégicos, o pouco incentivo a pesquisa científica e o baixíssimo índice de inserção de novos alunos são alguns dos problemas visualizados em nossa pós-graduação.
Atualmente sofremos com uma falta de regulamentação e fiscalização da Lato-sensu no Brasil, onde poucas instituições conseguem colocar cursos com a qualidade necessária para desenvolver não só profissionais mais estudiosos de diversas áreas.
Na stricto – sensu não é diferente. Ainda temos pouquíssimos mestres e doutores, ficando atrás de muitos países de economias mais frágeis e que conseguem investir em ciência tecnologia e inovação bem mais do que o Brasil. Somos apenas o 13º país em formação de mestres e doutores e produzimos apenas 2% das patentes mundiais e os programas de bolsas para os estudantes de pós-graduação ainda não acompanham o crescimento do país e o aumento da inflação.
É preciso termos um sistema de pós-graduação que preze a inclusão e a qualidade, com programas de iniciação científica, incentivo a formação de professores cada vez mais qualificados, cursos que visem o desenvolvimento crítico e científico, além de uma política de assistência estudantil que garanta o aumento das bolsas de mestrado e doutorado e aplicação das inovações em benefícios para a sociedade brasileira. Só assim construiremos um Brasil cada vez melhor e responderemos aos nossos desafios.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

10 Pontos na Hora de Escolher o Vereador




  1.  É necessário conhecer o candidato proporcional, estudar sua história, estar aberto a ouvir, comparar as propostas;
  2. Saber que o vereador é aquele que fiscaliza, que planeja a cidade, que tem a responsabilidade de aprovar as leis que nortearam nosso município, e não aquele que pensa no micro ou em interesses individuais;
  3. Vereador bom não é aquele que faz oposição ou apoio por conveniência ao poder executivo municipal (Prefeito). Não é aquele que muda de partido ou de coligação só pra levar vantagem e se eleger. O bom vereador é aquele que consegue cobrar e fazer críticas, quando necessário, pensando em auxiliar a prefeitura a implementar mudanças reais na vida das pessoas;
  4. Todo vereador precisa entender que tem um mandato a serviço da população e que precisa ouvir a opinião das pessoas para construir um mandato que interfira nos problemas da cidade;
  5. NÃO EXSITE VEREADOR DE BAIRRO! O vereador é eleito para pensar no município como um todo, formulando propostas e construindo ações que vise o futuro de toda a cidade;
  6. Todo o vereador tem o dever de ajudar a elevar o nível de consciência política da população. Para que não prevaleça sempre a idéia de que a política não tem jeito, que votar nulo é a solução, que todos sem exceção são corruptos, etc.
  7. Antes de votar verifique qual a opinião de seu candidato proporcional (vereador) sobre os movimentos sociais e sobre as organizações populares que muitas vezes levam em suas lutas os anseios de nossa sociedade;
  8. O candidato que muito promete e justamente aquele que nunca cumpre. Procure escolher candidatos que troquem as promessas por propostas reais para a cidade;
  9. Analise a militância e o trabalho de seu candidato nos anos que não são eleitorais. Como ele se comportou diante dos anseios da sociedade? Ele estava aberto a conversar com a população? Representou de fato algum segmento social? BONS CANDIDATOS NÃO SURGEM NAS ELEIÇÔES!
  10. Por fim o mais importante: NUNCA! EM HIPÓTESE ALGUMA, VENDA SEU VOTO. Vereador que compra voto é um picareta, criminoso e irresponsável, que deve está ali por interesses individuais e que, depois de eleito não viram as costas para o povo. SEU VOTO NÃO TEM PREÇO!

sexta-feira, 20 de julho de 2012

A Amizade


Meu amigo
Amigo, hoje a minha inspiração
Se ligou em você
E em forma de samba
Mandou lhe dizer
Tâo outro argumento
Qual nesse nomento
Me faz penetrar
Por toda nossa amizade
Esclarescendo a verdade
Sem medo de agir
Em nossa intimidade
Você vai me ouvir
Foi bem cedo na vida que eu procurei
Encontrar novos rumos num mundo melhor
Com você fique certo que jamais falhei
Pois ganhei muita força tornando maior
A amizade...
Nem mesmo a força do tempo irá destruir
Somos verdade...
Nem mesmo este samba de amor pode nos resumir
Quero chorar o seu choro
Quero sorrir seu sorriso
Valeu por você existir amigo
Quero chorar o seu choro
Quero sorrir seu sorriso
Valeu por você existir amigo
Música de Fundo de Quintal


























segunda-feira, 16 de julho de 2012

Nas Eleições Municipais, a UJS-Olinda tem Lado, Voz e Candidatos




Após um vitorioso congresso municipal  e uma ampla participação nas demais estapas congressuais (estadual e nacional) a União da Juventude Socialista - Olinda apresenta á sociedade sua opinião a respeito das eleições municipais do ano de 2012, com o lançamento da candidatura de Matheus Lins (65.000) à Câmara dos Vereadores e defendendo a reeleição de Renildo Calheiros (65)para a prefeitura.

Fruto de um longo processo de debates e alianças com outros setores e movimentos sociais, a candidatura de Matheus Lins (65.000) significa para UJS-Olinda a sua efetiva legitimação, enquanto instrumento de representação juvenil, como também, o amadurecimento político da entidade perante as demais forças políticas que compõem a sociedade olindense.

O Desafio e a Construção de Uma Nova Política:

Ao contrário das eleições anteriores, a direção da UJS-Olinda avalia que, visto o histórico de atuação da entidade dentro do município nos últimos 16 anos, não resta nenhuma dúvida que a organização está preparada para defender uma candidatura, proveniente dos movimentos juvenis, à câmara dos vereadores.

Sabemos que a juventude precisa, mais do que nunca, ser bem representada dentro da cidade, além disso, estamos convencidos de que é fundamental enfrentar com muita ousadia o desafio de construir uma "nova política" para o município. E diante disso, apresentamos o candidato, Matheus Lins (65.000)como a melhor alternativa para a concretização de um projeto político vitorioso e que tenha o objetivo de elevar a qualidade de vida do povo olindense. 

A atual conjuntura política e econômica da cidade é muito positiva e favorável para avançarmos ainda mais. Em virtude da atual gestão, a Frente Popular está unificada em torno da reeleição de Renildo Calheiros (65), unindo assim uma ampla maioria de partidos políticos e movimentos sociais. Essa realidade pode ser entendida como produto de um governo forte, democrático e popular que  faz do município uma referência para o desenvolvimento de Pernambuco e do Brasil.

Os investimentos e as obras provenientes do governo federal e estadual é uma realidade visível para os moradores de todos os bairros de Olinda, fazendo com que a qualidade de vida da população venha melhorando cada vez mais. Contudo, existem novos desafios que precisam ser incorporados na agenda pública municipal, para que os avanços não parem por aqui. E para isso, é fundamental contarmos com um Poder Legislativo forte e de grande competência. A população olindense necessita de uma Câmara de Vereadores capaz de responder à altura aos novos desafios e demandas municipais, e justamente por isso, a UJS-Olinda defende Matheus Lins (65.000), como o vereador da juventude, das mulheres, dos negros, dos trabalhadores e de todo povo da cidade.


Por fim, acreditamos que a Câmara dos Vereadores pode jogar um papel mais relevante para o desenvolvimento da cidade. Não podemos mais contar com um legislativo amorfo, limitado e resumido apenas a política de caráter assistencialista. E nada melhor que a ousadia da juventude para transformar essa realidade. Matheus Lins (65.000) é o candidato que vai representar os novos desafios de Olinda nos espaços de poder e decisão, construindo assim, uma "nova política" e fortalecendo a luta por um efetivo projeto nacional de desenvolvimento econômico e social.


O Candidato: 

Matheus Lins (65.000),  é o secretário de organização da direção estadual da UJS/PE e vice-presidente da UJS-Olinda. Foi protagonista no processo de reconstrução da União dos Estudantes de Pernambuco - UEP, além de ser referência política para as demais entidades estudantis e juvenis dentro do estado. Como educador, Matheus Lins (65.000), devota boa parte da sua vida trabalhando com jovens de diversas idades, adquirindo uma larga experiência no trabalho e no diálogo com os movimentos juvenis.


Além disso, Matheus Lins (65.000)participou ativamente da campanha pelos 10% do PIB para a Educação, projeto esse que foi incorporado ao PNE - Plano Nacional de Educação e aprovado pelos deputados federais no dia 26 de junho em Brasilia.

No campo das políticas sociais, Matheus Lins (65.000) foi protagonista na consolidação do Orçamento Participativo dentro de Olinda, sendo um dos responsáveis pelo planejamento e implementação desse programa que é responsável por grande parte das políticas públicas executadas dentro do município.

terça-feira, 1 de maio de 2012

Felicidade


O que de fato é felicidade?
As pessoas procuram muitas coisas para serem felizes. Dinheiro, fama, qualificação profissional e acadêmica, um bom emprego um amor perfeito, grandes amigos, família, enfim, vários são os motivos que nos impulsionam a buscar a felicidade e mais variado ainda é a quatidade de coisas que nós buscamos como objetivo de vida. Mas será que isso é ser feliz mesmo? Podemos ser felizes sozinhos? Mesmo quando ooutros não são.
Podemos conseguir nossos objetivos deixando muitas pessoas no caminho? Sendo muitas vezes um objetivo unica e exclusivamente nosso.
Mas parece que a tão buscada e sonhada felicidade não passa de apenas um desejo necessário para possámos continuar vivos, sendo ele algo raro e inalcançável, afinal podemos encontrar diversas pessoas que se dizem felizes, mas na verdade nenhuma delas tem a satisfação plena com o que tem. Se é asism onde está a felicidade?
Nessa corrida incansável nós só temos duas certezas. Primeiro: A felicidade é apenas um reflexo de nossas carências, pois esses limites dependem apenas de nossa situação. Um gesto de carinho ou uma fortuna é podem causar a mesma sensação de felicidade. O que vai definir são nossas necessidades; Segundo: Não existe um limite para a felicidade, pois não existe limites para nossas carências. Elas mudam, aumentam, diminuem, mas sempre estarão presentes.
Depois dessa pequena reflexão me pego a questionar: Podemos ser Felizes? Espero que NÃO!

sábado, 21 de janeiro de 2012

UMES - PE e UEP Cândido Pinto Lança Nota Sobre Ação da PM no Ato Contra o Aumento de Passagem


As diretorias da UEP Cândido Pinto e da UMES – PE vem através desta, mostrar indignação quanto ao absurdo que foi a atitude de repressão do batalhão de choque da Polícia Militar de Pernambuco.
Numa tentativa legítima de protestar contra o aumento das passagens da Região Metropolitana do Recife, os estudantes pintaram as caras e foram às ruas nesta sexta-feira, com bandeiras, palavras de ordem e disposição de construir um ato pacífico.
No entanto, desde a véspera da manifestação a polícia já tinha arquitetado sua ação repressora. Para relembrar sua atuação durante a ditadura militar a polícia intimou várias lideranças estudantis para prestar depoimento no exato momento em que o ato pacífico ocorreria. Isso foi sem sombra de dúvidas uma vil tentativa de impedir os estudantes de exercer o seu democrático direito a manifestação de pensamento.
No dia do ato, em surpreendente desproporcionalidade, viu-se uma ação de repressão policial fora do comum, com a utilização de diversos aparatos, de efeito físico e moral – um ataque contra os movimentos sociais e contra o pleno direito democrático de protesto da população.
Para nós que estamos em contato nacionalmente com militantes do movimento estudantil, encontramos semelhante repressão no Piauí, no Rio de Janeiro e em outros estados brasileiros, o que nos preocupa quanto à garantia dos direitos do povo no Brasil.
Esperamos que aqui em Pernambuco, estado onde o governo se diz democrático e próximo dos movimentos sociais, essa postura se modifique e que se retrate publicamente com os estudantes e com a população pernambucana. Além disso, esperamos a punição dos responsáveis por essa investida, acontecida sob a falsa desculpa de agressividade dos manifestantes, e que se garanta a cada cidadão ou cidadã, sua ampla liberdade de expressão, conquistada a muito custo nesse país.

Recife, 20 de janeiro de 2011.